Incrivelmente Linda

Quando e como tudo começou…


O objetivo deste Blog é o de mostrar para as mulheres, recém mães ou mães há um tempo que todas podem chegar num corpo legal, tendo uma auto-estima elevada. Vou relatar a vocês como foi todo o meu processo de emagrecimento, a questão da diástase que tive, as estrias, a flacidez abdominal, o que me impossibilitava de ficar de top na frente de qualquer outra pessoa, inclusive do espelho. Ah! O espelho me fazia mal. Eu tinha vergonha do meu marido. A minha vida sexual estava muito ruim. Minha auto-estima estava lá embaixo. Ela já não era tão alta assim mas com tudo isso piorou bastante.

               Eu me casei aos 25 anos de idade. Aos 26 anos fiquei grávida pela primeira vez. Fiquei grávida sem saber e perdi sem querer. Passei por um doloroso aborto espontâneo em casa. Eu sempre quis ser mãe. Aos 29 anos de idade esse desejo se tornou latente em mim. Aí consegui convencer meu marido a termos um filho. Inclusive estava com medo por já ter passado por uma experiência de aborto espontâneo antes. Talvez tivesse que fazer algum tratamento prévio, o que exigiria dinheiro e, na época, eu não tinha. Com o tempo fui percebendo que eram pequenos obstáculos que estavam mais na minha cabeça do que na própria realidade.

               Dessa forma, no dia 12 de outubro de 2007 meu marido resolveu ser pai. Nós não professamos uma fé ligada a uma religião específica. Somos espiritualistas. Mas nesse dia eu me lembro que fomos numa missa e quando voltamos ele disse que talvez realmente fosse a hora de ser pai. Naquela noite nós depositamos todos os nossos desejos, todas as nossas vontades a fim de que pudéssemos trazer uma criança muito abençoada e que pudéssemos ser bons pais a essa criança.

               Hoje meu filho já tem 10 anos de idade. E eu vou relatar algumas coisas que aconteceram desde o nascimento dele, de forma sucinta, para vocês terem uma ideia.

               Quando inicialmente tive a intenção de engravidar eu estava com 67kg. Fiz uma dieta em casa. Simplesmente fui cortando carboidratos, doces como chocolates, que, aliás, eu adoro, frituras, refrigerantes. Em cerca de 20 dias já pesava 64 kg.

               Dessa forma, quando engravidei estava com 64 kg. Com a gravidez eu engordei pouco mais de 13 kg, chegando a quase 78 kg. Muito peso para uma mulher de 1,61m. Não era adepta de nenhuma atividade física.

               Não preciso nem dizer que o meu casamento não ia muito bem porque quando a gente não se ama, como o outro vai nos amar? E não necessariamente para o outro nos amar a gente precisa ter um corpo x, y ou z. Temos que respeitar o nosso biotipo. E dentro do nosso biotipo tentar fazer o melhor. O melhor é o ponto em que você se sente bem. Se você se sente bem, feliz, amada por si mesma em primeiro lugar, sem problemas. Eu vejo pessoas, mulheres, principalmente porque o meu público são as mulheres, plus size liiindas. Uma postura de gente com a auto-estima elevada, gente bem resolvida, gente feliz. E o objetivo do meu blog é esse. Trazer auto-estima para as mulheres. Porque a gente merece!

               Nesse período eu mudei de profissão. Era professora e fui trabalhar num órgão público. Comecei a observar que as pessoas me olhavam. Aquele olhar que eu não tinha pra mim e nem o meu marido mais tinha para mim, outras pessoas tinham. Não estou dizendo que era um olhar com essa ou aquela intenção. Não é isso. Mas que eles me olhavam de alguma forma… Como quem diz: “Nossa! Quem é essa? Nossa! Que pessoa interessante…” E aí eu fui vendo que por mais que eu não tivesse com aquele corpão x,y ou z eu era uma pessoa interessante. Sou uma mulher bastante ativa, que gosta de aprender coisas novas, sabe ouvir. Então, pensei, imagine se eu tivesse aquele corpo mais interessante. Na minha opinião, naquele momento, eu seria mais interessante.

               Comecei a pesquisar sobre dietas. Nunca havia feito uma antes. Rs… Ao longo de muita pesquisa, resolvi procurar a ajuda de uma endocrinologista e nutróloga. Já na recepção notei duas recepcionistas comentando sobre a Dieta HCG e sobre seus incríveis resultados. Uma delas disse que achou maravilhosa e que estava fazendo. A outra disse não gostar pois era muito restrita. O meu objetivo ali era achar algo que realmente funcionasse pois estava super decidida a perder peso. Já não aguentava usar batas para “esconder” a enorme barriga e ser convidada a sentar no banco reservado para gestantes nos ônibus e nos trens do Metrô. Poxa! À época meu filho já tinha 7 anos de idade. E essa dieta foi justamente a que ela me passou. Quando der eu posto um artigo aqui no Blog explicando ela melhor. Nessa história toda eu consegui perder pouco mais de 13 kg em 40 dias. Era o que eu precisava para dar um up na minha auto-estima, na minha alegria de viver. Mas não pelo número mas porque mostrou pra mim que eu posso. A gente precisa de algo que seja um start inicial. Algo que signifique superação. Se eu posso, VOCÊ TAMBÉM PODE!!!!!!!

               Deixei de usar bata depois de muitos anos. Uma pessoa com apenas 1,61m e com uma barriga disforme e enorme com muita gordura concentrada. A barriga era muito flácida. Eu estava muito gordinha, ‘sem pescoço’. Braço muito fofinho. Não estava proporcional. A dieta pra mim foi muito importante. A primeira coisa quando queremos perder peso é a dieta. Sei que a palavra dieta não é gostosa de se ouvir, porém, não existe apenas a HCG que é tão restritiva assim. Ela tem uma parte da filosofia da dieta cetogênica, aquela que corta drasticamente os carboidratos. Existem várias dietas que podem se adequar aos diversos perfis.

               Além das dietas existe algo mais importante ainda, que se chama ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. É você habituar o seu paladar. Porque se você gosta de dieta mas não adequou o seu paladar, você pode até perder peso mas com o tempo se voltar a comer o que comia antes como frituras, refrigerantes, doces em excesso… vai voltar a ter o corpo de antes.

               Hoje tenho 39 anos de idade. Tenho naturalmente menos massa magra que quando tinha 20 anos. Portanto, qual o meu objetivo? Perder gordura apesar de já ter perdido bastante. Meu peso está medindo por volta de 58kg. E agora é perder mais um pouco de gordura e, ao mesmo tempo, aumentar a massa magra. Até porque o músculo consome muitas calorias. Inclusive para manter um corpo com ‘cara’ de saudável. Não um corpo ‘chupado’. Vide várias modelos hiper magras que como não possuem tempo para malhar não ficam com um corpo bacana.

               Depois dessa etapa de perda de peso eu tive problema com uma hérnia de disco na região lombar S5. Então resolvi começar a fazer Pilates num estúdio mesmo. Não o de solo, mas com aparelhos. Demorei para começar pois realmente é caro. Eu, a princípio, não tinha condições. Até que encontrei um lugar mais próximo de casa e bem mais em conta com excelentes profissionais. Entendo que quanto mais próximo de casa mais facilita dar continuidade. Faço com uma professora educadora física. Eu me apaixonei pelo Pilates. O que buscava era ficar sem dor mas descobri que o Pilates trabalha todo o corpo. Não pretendo ser fisiculturista. Mas tenho músculos já bem definidos. A minha barriga não é tanquinho mas ficou bem durinha. Nos primeiros 3 meses já se nota bastante diferença. Eu não tenho mais dor. A não ser que eu me sente numa posição errada mas aí automaticamente eu já corrijo a postura. Eu me obrigo a sentar na posição correta. Havia ficado 2 anos com dor até começar a fazer Pilates. E se não fosse essa academia mais próxima de casa num valor razoável acho que teria enrolado mais um pouquinho ou teria feito fisioterapia. O Pilates em estúdio costuma ser bem mais caro que o Mat Pilates pois são apenas 3 pessoas ao mesmo tempo fazendo aula, encarecendo.

               O Pilates diminuiu consideravelmente a minha diástase. E o que é diástase? É quando o músculo se abre. O músculo da barriga se abre à medida que o bebê vai crescendo dentro dela. Depois quando a criança nasce nem sempre volta corretamente para o lugar pois o músculo pode ficar flácido, como no meu caso. A barriga fica mole, flácida bem no meio. Parece a moleira de um bebê ao nascer, só que no centro da barriga até um pouco acima do umbigo.

               Junto ao Pilates eu fiz 10 sessões de radiofrequência. Percebi que depois de muuuita radiofrequência deu uma melhorada no aspecto da pele e logo pensei: “Puxa! Acho que este é o caminho.” Se eu pegasse de repente um aparelho melhor, mais potente, este resultado viria mais rápido. Procurei no mercado aparelhos mais potentes que pudesse trazer um resultado satisfatório e num menor tempo. Eu preferi pagar mais caro no tratamento, dividi em 6 vezes. Eu não quis fazer abdominoplastia pois é uma cirurgia, envolve risco, fica com uma cicatriz imensa. Eu creio que ficaria com a mesma vergonha de usar biquini com toda aquela cicatriz. Eu sou quase naturalista. Não sou muito adepta de remédios, tratamentos invasivos… Resolvi tratar da forma mais natural possível. Achei um aparelho bem potente no mercado. Estava começando a gostar do resultado e me ofereceram um tratamento coadjuvante com Carboxiterapia.

               Esse tratamento é bem ardido, feito com injeções de gás carbônico medicinal. Esse gás vai provocando inflamações na pele e durante a recuperação seu organismo produz colágeno, diminuindo a flacidez, a pele vai ficando mais lisa e as estrias ficam mais finas. É um tratamento excelente. As minhas estrias são da cor da minha pela mas mesmo assim a carboxiterapia melhorou bastante sua aparência.

               Por enquanto eu fiz 10 sessões de radiofrequência e 10 sessões de carboxiterapia. VEJAM AS FOTOS DO ANTES E DO DEPOIS. Eu sou uma pessoa muito perfeccionista. Quero melhorar mais. Mas perto do que esteve melhorou muito. Minha pele era caída, parecia que estava derretendo. Hoje não é mais assim. VOU COLOCAR PRA VOCES TAMBEM QUANTO GASTEI ATÉ AGORA. COMO É O TRATAMENTO QUE FIZ. PARA QUE SERVE A CARBOXITERAPIA. PARA QUE SERVE A RADIOFREQUÊNCIA. COMO FUNCIONA O PILATES. O objetivo deste Blog é compartilhar experiências.

               Sei que existe um tratamento que daria um up final que são os bioestimuladores de colágeno. Ainda estou pesquisando mas, de qualquer forma, sei que seria um tratamento complementar ao que já fiz. Para quem está começando, as indicações do que já fiz são excelentes formas de melhorar 60% ou 70%.

               A partir de toda essa experiência que tive só tenho a agradecer pelo filho maravilhoso que tenho, a família abençoada que faz parte da minha vida, por pessoas incríveis que sempre atravessaram o meu caminho, por poder ajudar outras pessoas. Pra mim isso é muito importante. Essa experiência que estou tendo de melhora substancial da diástase, da flacidez de pele, das estrias, da hérnia e por poder contribuir com você, cara leitora, é algo que me estimula bastante. Dizer pra você que tem jeito sim! E olha que eu só busquei ajuda quase 9 anos depois do nascimento do meu filho.

               Em quem eu me inspiro? Em todas as mulheres fodas que eu conheço e não nas mulheres fakes. Como assim? Pessoas como eu e você, normais, que não vivem da própria imagem mas que querem ter uma boa imagem pra se sentir melhor, querem ser felizes mas não conseguem ficar o tempo todo gastando e vivendo disso.

Incrivelmente Linda

Amanda Pongeluppe

#incrivelmente_linda